Arquivo da tag: heterossexualidade

Especial Dia dos Namorados

Dia dos Namorados! Eis uma data que diz pouco para mim, já que apesar de ser uma das pessoas mais convencionais que eu conheço, minhas relações não são tão convencionais assim. Atualmente, nem vivendo algum tipo de relacionamento afetivo estou… Portanto, nada mais justo (e verdadeiro) do que sair um pouco da umbigolatria de meus textos em primeira pessoa e fortalecer cada vez mais o sentido de “Biografia Secreta de Todos Nós”.

Imagem: Headless Lovers, por Hamed Masoumi, no Flickr

Recentemente, eu e o Admin (entre outros blogueiros bacanas) gravamos um NerdCast, na verdade um PodSexo Especial Dia dos Namorados (imperdível), patrocinado pelo KY , onde a diversidade dos participantes (uns namorando, outros casados, alguns solteiros como eu…) me fez refletir sobre o quanto não existem fórmulas de felicidade. Cada pessoa é uma pessoa, cada casal é um casal. O que é perfeito pra mim, pode não ser para o outro e vice-versa. No sexo, como na vida, a medida da felicidade não está no quão normal ou anormal (?) se é, no quão morna ou intensa é a sua intimidade, bom mesmo é ser feliz e fazer o outro feliz.

E pensando nestas pessoas que tem a consciência de que ser feliz juntinho é melhor que ser feliz sozinho, elaborei um pequeno roteiro (tema, local, trilha sonora, o que comer e beber e acessórios eróticos indispensáveis) que serviu apenas como referencial. Pedi a cinco casais – Heterossexuais (BDSM, Swinger e Pepper Vanilla) e Homossexuais (Gays e Lésbicas) – que respondessem à sua maneira: Para vocês, como seria um Dia dos Namorados perfeito? Ou seja, no melhor estilo AVS, casais tão iguais e tão diferentes poderão ser a expressão da diversidade, das possibilidades. Uma prova de que pra ser feliz, basta estar com quem se gosta. O resultado vocês podem conferir clicando nos links correspondentes.

Paixão - Casal quase se beijando - Imagem: nhanusek-on-flickr

A sexualidade invertida

heterossexual
he.te.ros.se.xu.al
(cs) adj (hétero+sexual)

  1. 1 Biol Relativo ou pertinente aos dois sexos.
  2. 2 Relativo ao sexo oposto, por oposição a homossexual.
homossexual
ho.mos.se.xu.al
(cs) adj (homo1+sexo+al3)

  1. Referente a atos sensuais entre indivíduos do mesmo sexo.

adj e s m+f

  1. Que, ou pessoa que tem afinidade sexual somente para indivíduos do mesmo sexo.
bissexual
bis.se.xu.al
(cs) adj m+f (bi+sexo+al3)

  1. 1 Que reúne os dois sexos: Escola bissexual.
  2. 2 Bot Que tem ao mesmo tempo estames e pistilos; hermafrodita.
  3. 3 Referente ao comportamento sexual dirigido aos dois sexos.

Ok, teorizar é fácil. Indivíduos que se interessam e/ou se relacionam com pessoas do sexo oposto são heterossexuais, com pessoas do mesmo sexo são homossexuais e com pessoas de ambos os sexos são bissexuais. Lindo! No melhor estilo Plunct, Plact, Zumm: “registrado, rotulado e avaliado”, mas… O que falar da inversão de papéis? Uma mulher que curte fazer strapon em seu amado é uma lésbica enrustida? E o homem que tem a fantasia de ser invertido pela amada?

Já me relacionei com muitos homens que curtiam a inversão de papéis, crossdresser, fantasias de feminização forçada, puta particular… No entanto, destes todos, raros, raríssimos se assumiam bissexuais, no sentido de ter desejo sexual por homens também. Quase todos o desejo sexual era explicitamente heterossexual, mesmo aqueles que curtem o fetiche de strapon. Alguns, só em eu falar ou cogitar uma figura masculina para a experiencia, simplesmente broxavam.

E o que falar das mulheres que praticam o strapon? Esqueçam o estereótipo atriz pornô ou a prostituta/Dominatrix… Foquem nas mulheres reais mesmo. As femininas e delicadas, as mais machonas (mas que não dispensam o sexo oposto), a amiga, a namorada, a esposa, as que praticam strapon pelo prazer, o prazer de dar prazer a seu parceiro, ou mesmo o prazer sádico da feminização forçada. Mulheres que fora do quarto são só mulheres e sequer desejam outras mulheres. O foco do seu prazer é ela e ele. Só!

Apesar de toda a carga erótica homo ou bissexual implícitamente envolvida no strapon (homem/mulher), a prática é totalmente heterossexual, independente das preferências sexuais de cada um. Independente das fantasias motivadoras, uma mulher dá prazer a um homem e vice-versa. A multiplicidade de possibilidades é só um prazer a mais.

Eu, que sou uma praticante eventual da inversão de papéis, vejo isso tudo de uma maneira muito lúdica. Amo as múltiplas possibilidades da inversão. Seja com a feminização e crossdresser ou apenas com a estimulação anal, massagem prostática e etc. Tenho que confessar que mesmo os parceiros assumidamente bissexuais, ou seja, que assumem claramente ter também desejos homossexuais, não me incomodam nem um pouco, mas…

E você? O que pensa disso?