Quero gozar agora!

 

O que um homem é capaz de fazer na esperança de ter o que deseja? Eu que lido com fetichistas há algum tempo posso responder: “Tudo!” No entanto, nem precisa ser fetichista para estar aos pés de uma mulher. Um exemplo clássico disso é a fixação de alguns homens por virgens, são capazes de virar animais de estimação por essa gloriosa moeda de troca, o cabaço. O simples vislumbre da possível satisfação do seu desejo emburrece e cega o mais inteligente dos homens. Alguns percebem as artimanhas e se divertem com o jogo, deixando-se seduzir e conduzir, pelo prazer do gozo final. Outros, simplesmente acatam, acreditam e esperam…

Foi assim naquela tarde, ele esperou… Sei que muitos jamais entenderão o prazer que sinto com esse tipo de restrição. Provocar e negar. É um prazer psicológico. Sem contar o prazer de saber que o outro, fará exatamente o que eu disser, na esperança de obter o que deseja. Naquela tarde o prêmio era o meu pé.

Intencionalmente fui ao encontro com um vestido bem soltinho e botas na altura dos joelhos. Minha (já famosa) e enorme bolsa de vinil preto que é capaz de guardar de tudo um pouco dentro dela e ainda ser fashion. Quando ele me viu, olhou para meus pés e suspirou; “Você é má!”, me deu um beijo no rosto e sorriu. Quem entenderia se eu dissesse que este olhar desconsolado dele me fez melar de tesão?

No quarto, como sempre, pedi que tirasse a roupa. É um outro prazer meu, continuar vestida enquanto o outro se despe por completo. E chegando juntinho dele, ainda não totalmente nu, um suave beijo nos lábios antes da pergunta: “Saudades dos meus pés?” e ele simplesmente consentiu com um aceno de cabeça. Dei a volta e por trás dele, continuei a perguntar em seu ouvido: “Você confia em mim?” e ele respondeu mais uma vez que sim. E então, pedi que ajoelhasse diante de mim. Mais uma vez obedeceu. Com a mão em seu rosto, olhando em seus olhos, fiz a derradeira pergunta: “O que faria esta tarde para ter o prazer de tocá-los (meus pés)?” E ele num suspiro respondeu sincero: “Tudo!”

O melhor da Dominação é ter em minhas mãos o direito de fazer (ou não) qualquer coisa, com o consentimento do outro. É claro que numa relação D/s existem limites, e o submisso quem delimita isso. No antanto, o prazer do Dominador é justamente tentar ampliar estes limites. Pelo prazer inusitado do outro e consequentemente o seu próprio. A fantasia da Dominação é prepotente, conduzir o outro a algo que jamais faria por vontade própria e, ainda assim, gozar com isso.

Quando ouvi a resposta, tudo, senti a xota mais uma vez melar de maneira generosa, abundante. Diante dele, tirei a calcinha, passei o dedo entre as pernas e melei-o em meu suco. Com ele ainda de joelhos mostrei meus dedos melados a ele, que arregalou os olhos surpreso. “Vê? Este jogo me excita! Realmente faria tudo pelos meus pés?” e ele consentiu mais uma vez.

Sentei então na beirada da cama, abri as pernas e simplesmente disse: “Ótimo, quero um orgasmo agora. Chupe!” E ele não acreditando no pedido, como quem pensa em voz alta, retrucou: “M… mas assim? Sem nenhuma preliminar?” E eu, que já havia me recostado na cama, sentei e novamente olhei em seus olhos: “Você não entendeu, estas são as minhas preliminares, quero gozar agora e você vai fazer isso! Será que é incapaz?” e ele consentiu. Posicionando a cabeça entre minhas pernas e começando a chupar, magistralmente, minha xota melada. Não sei se foi pelo tesão que eu estava com a situação, talvez até a sensibilidade, pois na noite anterior eu havia me mesturbado algumas vezes imaginando aquela tarde, o que sei é que um orgasmo foi quase imediato. E nem bem meu corpo relaxava, ele continuou com a carícia e gozei mais uma vez, desta vez ainda mais intensamente.

Bom, o que posso dizer é que até desnudar minhas botas nós brincamos bastante. E mesmo desnudando-a, antes de beijá-los (meus pés) ainda brinquei um pouquinho mais. O podólatra é um fetichista, mas não necessariamente um masoquista, mas por experiência eu sei, um homem (fetichista ou não) é capaz de tudo para realizar sua fantasia.

PS – Sei que o sexo oral é uma das práticas mais básicas do sexo convencional. E só para contextualizá-los, o podólatra em questão no texto é meu amigo, só amigo, de muitos anos e nossa relação erótica funciona muito mais platônica do que ativamente. Em quase cinco anos só nos encontramos quatro vezes e apenas duas vezes com alguma conotação erótica-sexual. Daí a surpresa dele…

10 opiniões sobre “Quero gozar agora!”

  1. noossa adorei, ´meu fetiche é um uma mulher fazendo exatamente o qu seu amigo fez em vc. sou noiva , não sou bi nunca se quer olhei para uma mulher mas tenho a vontade de ser xupada ate gozar por uma

  2. adoro sexo e queria gozar um milhao de vezes….

    mas meu namorado nao aguenta

  3. Gostei desse jogo de dominadora, so que vou mudar o lado da dominação… usarei essa dominação Nela… Ela tem prazer em ser mandada eu tb mas mandar é mt melhor…

    bjos…

  4. Tem certas coisas que não se questiona. Perguntar sobre preliminares na situação descrita é como questionar "Só?" ante um orçamento apresentado:

    – Quanto vai custar o conserto do ar-condicionado?

    – 570 reais! – sentencia o funcionário convicto

    – Só, achei que ia dar uns 1000 reais.?

    – Só de peça…mais uns 400 de mao de obra – improvisa o funcionário satisfeito.

    Se me são apresentadas pernas abertas e uma xota completamente melada, com a ordem "me chupa" o "pa" da ultima silaba ja ia sair emendado com um gemido.

    Eu hein! Vai entender!

  5. Pingback: Tara ou Fetiche?
  6. Nunca experimentei fazer nada parecido, mas tenho uma curiosidade: Qual a diferença entre fetiche e tara? Se é que tem alguma. Eu por exemplo não me ligo em pés, mas adoro mãos de homem, isso é fetiche ou tara Alguém pode me responder????

    Beijos curiosos

  7. Bela descrição B do sentimento de realizar um fetiche.

    Jogos de sedução são fascinantes! Não entendo sexo sem jogo de sedução, sempre quero conquistar "algo mais", uma palavra não dita, uma posiçao sexual diferente, uma tara não confessada (risos) um jogo de mostrar e esconder, as possiblidades são infinitas e nesse jogo também quero que ele conquiste esse "algo mais" que tenho para oferecer e ai o resultado não pode ser diferente do prazer! Mas afinal para que serve o sexo? Quando me faço essa pergunta a resposta que imediatamente me ocorre é para dar e receber PRAZER!

    .

    Beijos

  8. Provocar e negar… humrum! Entendo como funciona!

    Os fetichistas realmente são capazes de fazer qq coisa pela gratificação de ter seu fetiche.

    Vc é provocante heim?!

Os comentários estão encerrados.