Barbie In The Big House, foto de Cade Buchanan, no Flickr

Prostituta, uma Profissional do Sexo

Nadia é uma Stripper Virtual e há alguns meses passou a fazer parte desse nosso eclético grupo de colunistas mensais.  Seus textos, sempre interessantes, nos levam à reflexão. Este não é diferente.

 

Strippers, Oh La la!!! – Imagem: Cade Buchanan

Profissional do Sexo é toda pessoa que trabalha e ganha dinheiro com alguma forma de sexo. Começando por garotas e garotos de programa, e passando pelas dançarinas eróticas, atores e atrizes pornô, strippers virtuais, atendentes de tele sexo, vendedoras de calcinhas usadas, dominadoras e se pensar bem até um dono de agência ou site que divulga qualquer serviço sexual poderia ser considerado um profissional do sexo, porque também ganha dinheiro com isso.

Nota da B.

Em inglês, o termo Sex Worker é bastante abrangente. Exatamente como a Nadia explicou acima, independente dos níveis de contato, todo aquele que ganha dinheiro com a indústria do sexo é um Sex Worker, paga impostos, tem Seguro Social. E apesar do termo ser ligado, pejorativamente, à imagem da prostituta, é realmente muito mais amplo.

Profissão: Prostituta

Se levarmos ao pé da letra a definição dada a prostituto(a) no dicionário (“troca de favores sexuais por interesses não sentimentais”), chegamos a conclusão que todo profissional do sexo é prostituto ou prostituta. Mas… A palavra prostituta é pesada e ofende algumas pessoas, por conta do próprio preconceito.

Muitos profissionais do sexo não aceitam essa definição, e acreditam que somente aqueles que alugam seu corpo para satisfazer o outro, ou seja, os garotos e garotas de programa, é que podem ser considerados prostitutos.

Não concordo, porque mesmo os profissionais que alugam apenas sua imagem, o fazem para que a outra parte tenha prazer sexual, e são igualmente pagos para isso.

Polêmicas a parte, eu me considero profissional do sexo, e não me incomodo com rótulos. Não posso exigir ser tratada como uma mocinha pela sociedade porque me enquadro na definição do dicionário: troco favores sexuais por dinheiro.

O Fantasma do Preconceito

“Quanto vale este corpitxo?” – Imagem: Cade Buchanan

O preconceito com o profissional do sexo existe até mesmo entre os próprios profissionais. Já vi outras strippers virtuais que repudiam as garotas de programa. Já vi atriz pornô que processa programa de TV porque é chamada de prostituta…

A prostituição é a profissão mais antiga do mundo, e mesmo assim ainda é cercada de preconceitos. Preconceito para o profissional, mas não para quem usa o serviço. A profissão só existe (e aumenta) pela demanda, pela procura.

Uma pessoa não começa a trabalhar nisso porque é vadia, vagabunda. É tão somente pelo dinheiro (nem sempre fácil), ponto.

Nem por isso, as pessoas que fazem isso são indignas, desonestas ou pessoas más.

Existe muita profissional do sexo que é mais mulher, mais mãe, mais amiga, mais justa que muita senhora recatada e recalcada.

E muito mais guerreira, porque nem tudo é assim tão fácil como aparenta. Não é só fazer o programa, receber e tchau. Existe homem que é estúpido por conta do próprio preconceito, que acha que está pagando e não precisa ter educação, existe homem que não tem higiene pessoal, e ainda assim a profissional tem que fazer o boquete no cliente com cara de feliz…

O Mercado da Prostituição

Muitos profissionais do sexo sustentam famílias com o dinheiro ganho. Segundo pesquisas, 59% das mulheres que trabalham com sexo são chefes de família e sustentam filhos sozinhas.

A prostituição no Brasil “emprega” hoje cerca de 1,5 milhão de pessoas e movimenta em torno de R$ 500 milhões.

Pensando por essas estatísticas, pode ser que pelo menos uma pessoa que você conheça e nem desconfia seja um profissional do sexo.

No Brasil a prostituição em si não é ilegal. A cafetinagem sim, mas isso é um assunto que renderia outro post.

As Razões da Oferta e Procura

“Er… Qual seu nome mesmo, docinho?” – Imagem: Cade Buchanan

Muitos homens (e algumas mulheres) pagam para ter sexo, real ou virtual. Razões são muitas.

A principal delas é o que sexo pago é um atalho. Não precisa perder tempo com conquistas, paqueras, nada disso. Pagou, conseguiu o que queria e fim.

Se o homem for inseguro quanto a aparência e performance, contratar uma profissional do sexo é ótimo, porque não tem depois aquela preocupação da mulher contar a outras pessoas, nem comentar com ele mesmo.

Muitas vezes sai mais barato contratar uma profissional, do que levar uma garota pra sair, e depois gastar a “lábia” com cantadas, e quem sabe conseguir uma noite de sexo, e pior se esse sexo não for dos melhores.

Um relacionamento requer trabalho, envolvimento, tolerância, compreensão, paciência, correção, auto-conhecimento, respeito, superação, auto-estima, coragem… e muitos querem apenas a sensação do sexo sem trabalho…

O Perfil do “Usuário”

Qual o perfil de um homem que paga pra ter sexo? Não existe perfil.
Homens casados procuram profissionais do sexo para sair da rotina sem a implicação de manter uma amante.

Homens solteiros, bonitos e bem sucedidos contratam uma profissional porque sabem o que querem. Eles querem sexo e só sexo. E sabem que pagando isso acontece com maior facilidade.

Também tem a questão do sexo sem compromisso. Ser humano gosta e tem necessidade de sexo, essa é a realidade. E isso não precisa implicar em compromisso, namoro, noivado, casamento.

Para as mulheres é um pouco mais complicado separar sexo de compromisso, mesmo hoje em dia, algumas mulheres sonham que o cara vai ligar no dia seguinte. A profissional do sexo não vai esperar seu telefonema amanhã, nem depois, a não ser que seja para mais um programa!!

E diante de tanto, acho que só nos resta refletir. A prostituição é uma profissão como outra qualquer… Se nem ilegal é, pra que tanto preconceito?!

_________________________

Nádia é uma mulher comum, dona-de-casa, casada e com filhos… Que também trabalha como stripper virtual (shows eróticos na webcam mediante pagamento antecipado). Alguém que ama escrever, tem um blog onde registra seu devaneios sobre sexo e outros assuntos. Além do seu blog profissional www.prazervirtual.com

20 opiniões sobre “Prostituta, uma Profissional do Sexo”

  1. Pingback: A vida secreta | Nadia Stripper
  2. A palavra "sexo grátis" sai freqüentemente da boca das mulheres. A verdade é que o homem sempre paga, de maneira direta ou indireta. Essa coisa de "sexo grátis" é praticamente uma lenda urbana!

  3. "Um relacionamento requer trabalho, envolvimento, tolerância, compreensão, paciência, correção, auto-conhecimento, respeito, superação, auto-estima, coragem… e muitos querem apenas a sensação do sexo sem trabalho…"

    Relacionamento??? Como se o homem quisesse isso procurando uma prostituta.

    Quando o cara quiser um namoro, ela vai lá, vai falar todas as besteiras que ela quer ouvir, e pagar a conta do jeito que elas gostam.

    Mulher que quer ser conquistada é o que não falta.

    1. Foi exatamente isso que eu escrevi: relacionamento!

      Nunca escrevi que homem procura relacionamento com prostituta, se você tivesse prestado atenção ao texto não teria interpretado errado.

      Concordo que tem muita mulher querendo ser conquistada, mas também afirmo com convicção que tem muito homem que não sabe conquistar.

      Principalmente se for como você que diz o que a mulher quer ouvir e não o que você quer dizer… que acha que pagar conta é demonstrar afeto… esse tipo de homem também tem aos montes por ai e estão todos sozinhos, porque será??

        1. Estou calma… rsrs

          Só não gosto que venham criticar antes de saber ao menos interpretar um texto, só isso…

          Mas estou light. Beijo!

          1. Minha querida nádia, foi você que não compreendeu a minha colocação. Vou tentar ser mais claro.

            Na parte final do texto onde você explica às razões da oferta e da procura. Você escreve o seguinte trecho:

            "Um relacionamento requer trabalho, envolvimento, tolerância, compreensão, paciência, correção, auto-conhecimento, respeito, superação, auto-estima, coragem… e muitos querem apenas a sensação do sexo sem trabalho…"

            E isso não tem nada haver com o que está sendo proposto.

            E o que está sendo proposto? As razões pelas quais os homens procuram à prostituta. Que obviamente passa longe de um relacionamento. Se em nenhum momento você quis dizer que o homem procura relacionamento com a prostituta, porque diabos escreveu isso?

            Isso deveria estar num post sobre relacionamentos e não sobre prostituição.

            Quando o cara quiser um relacionamento, ele vai encarar o ritual da conquista com gosto, porque pra isso (tempo, lábia e dinheiro) o namoro vale à pena.

            Já pro sexo casual não vale à pena, os motivos não preciso dizer. Você já disse!

  4. Atualmente estou namorando uma mulher que é profissional do sexo também, gosto dela mas não sei se vou conseguir continuar com ela dessa forma, não sei o que fazer? Hora quero terminar hora não quero estou com muita dúvida!!

  5. Pingback: Prostituta, uma profissional do sexo | Nadia Stripper
  6. Também gostaria de comentar quanto ao preconceito: ja conversei com algumas mulheres que expressaram verdadeira inveja das meninas de programa, talvez por serem reprimidas, sei lá, e acho muito estranho o preconceito, pois puta na rua é um absurdo, mas na cama pode! preconceito é um troço muito chato!

    beijos

  7. Bom, eu também sou uma profissional do sexo (mais especificamente uma prostituta) e gostaria de comentar a parte do preconceito. Mas antes vou fazer duas ressalvas: os clientes também sofrem preconceito (embora muito diferente daquele pelo qual a gp passa) e muitas não trabalham nessa área apenas pelo dinheiro. Na minha opinião, o preconceito contra a profissão seria uma associação de dois preconceitos maiores: contra o sexo e contra as mulheres. Várias pessoas vão condenar uma mulher que tenha uma vida sexual mais intensa, mas as gp são mais hostilizadas porque a própria profissão exige que a mulher já aborde qualquer pessoa de uma forma mais sexualizada, mais íntima. Como em geral, as pessoas não saem por aí expressando sua sexualidade, até para evitar julgamentos, as garotas de programa acabam sendo rotuladas como promíscuas, como se a população abominasse o sexo.

    Parabéns pelo texto!

    Beijinhos

  8. @Andarilho, morri de rir aqui… Santo caos.

    @Nadia Que puta post, sem trocadilhos!

    @Admin, quando vi estas imagens, amei! Achei a cara do post. Para dar leveza a um tema tão pesado.

  9. Márcio, eu não acho… eu pesquiso os temas antes de escrever, e só escrevo quando tenho certeza.
    O Admin Secreto já disse tudo, pagamento não significa somente dinheiro.
    Apesar de alguns estudos discordarem e dizerem que as primeiras profissões eram caça, pesca, agricultura e etc, o que acontece é que a prostituição foi a primeira profissão Regulamentada.
    Os romanos regulamentaram a prostituição para obrigar as profissionais a pagarem impostos. E nessa época já existia dinheiro sim.
    Os primeiros relatos do surgimento da prostituição diz que as altas damas da sociedade quando ficavam viúvas não queriam perder seu status (ter criados, casa e comida sem precisar trabalhar) e para isso prestavam favores sexuais aos outros homens do alto escalão da sociedade que as mantinham.
    Voltando um pouco mais na história, no Egito Antigo as prostitutas recebiam como pagamento honrarias e presentes como se fossem verdadeiras deusas.
    Espero ter esclarecido sua dúvida.

  10. Legal o post, mas….

    Se vc acha que prostituta é a profissão mais antiga do mundo, como ela era paga?

Os comentários estão encerrados.