A primeira vez de um homem

Na seção Contos Secretos, onde os leitores contribuem com textos, contos ou relatos próprios. Já tivemos bons momentos de lembranças eróticas, curiosamente, textos que remetem a um passado remoto de descobertas. Seja no divertido Recordações de um Alpinista , de um leitor que não quis se identificar, no curioso Iniciação ou no recente O primeiro virgem a gente nunca esquece, da leitora Cláudia Motta. O novo texto vem nessa mesma linha, um texto de um leitor assíduo, o Eu Mesmo. Espero que gostem.

Primeira vez e aprendizado – Texto de Eu Mesmo

Como a maioria dos garotos de meu tempo, a primeira vez foi na zona. A grande maioria de meus amigos tiveram sua primeira foda ou lá ou com a empregada da casa.

Meus pais acharam que eu estava frequentando o banheiro com uma frequência muito grande e achando restos de papel higiénico sujos de porra no meu quarto. Nessa época, eu tinha 13 anos, nós morávamos em uma cidade do interior de São Paulo.

Em uma das vezes em que peguei uma carona com o Miguel, amigo da família, ele foi para uma das “casas de tolerância” da cidade. Chegando la, fomos para o bar, ele tomou uma cerveja, tomei uma Coca Cola e logo varias mulheres vieram sentar conosco. Ele era bastante conhecido da casa e como era final de tarde em dia de semana, não havia nenhum outro frequentador. Ficamos por lá por algum tempo e fomos embora.

Na volta para a cidade ele perguntou o que eu tinha achado. Respondi, todo sem jeito, que tinha gostado. Ele perguntou se já tinha tido alguma mulher, respondi ,todo vermelho, que não, Perguntou se eu tinha dinheiro para voltarmos lá e como eu disse que não ele falou que iria me emprestar mas eu teria que pagá-lo. Voltamos.

Creio que ele já tinha tudo combinado com as garotas, nunca apurei. Os fatos se confundem um pouco em minha memoria mas, depois que chegamos, duas mulheres sentaram em nossa mesa, uma delas, uma mulata meiga, chegou perto de mim, acariciou meu rosto e me convidou para dançar. Fomos para a pista de dança, começamos a dançar e ela me puxou para que dançássemos agarradinhos. Meu pau, de há muito, não cabia dentro da cuecas! Logo depois de começarmos a dança, ela pegou minha mão e fomos para um quarto.

Não me lembro de tirarmos a roupa. Lembro de estarmos deitados, nus, na cama. Hoje sei que ela me conduziu para cima dela e começamos um papai mamãe. Imediatamente ela começou a gemer e arfar. Fiquei muito preocupado e indaguei se ela estava se sentindo mal e queria que eu parasse! Imagino o esforço dela para não cair na risada, nesse momento. O fato foi que em seguida gozei, muito sem jeito, me vesti, paguei e fomos embora.

Peguei gosto pela coisa e passei a frequentar o puteiro e como tinha pouco dinheiro, depender da boa vontade das garotas. Sempre conseguia alguma coisa. Foi assim que perdi meu cabaço ( como se dizia na época ), mas não minha virgindade.

Quando tinha 17 anos, já morando em São Paulo, conheci uma mulher, 10 anos mais velha que eu, que trabalhava em uma banco como secretaria da diretoria. Fui convidado para trabalhar, como office boy, subordinado a ela. No fim do expediente saiamos juntos. Ela gostava de jazz e existiam diversos barzinhos pelas galerias do centro onde podíamos ouvir boa musica, conversar e dar uns amassos.

Em uma dessas noites, acabamos indo para minha casa, que estava vazia e fomos para a cama, onde depois de uns poucos beijos, penetrei-a. Qual não foi meu espanto quando ela pós as mãos em meu peito e me empurrou dizendo: “Espera ai! Eu não estou pronta!”. Eu não sabia que uma mulher precisava estar pronta!

Com uma paciência invejável ela começou a me ensinar como um homem deveria usar os dedos para acariciar e excitar uma mulher, como usar a língua, os lábios como achar o clitóris como chupá-lo e principalmente como desfrutar de tudo isso, sentindo prazer em dar prazer.

Considero que meu aprendizado começou ai e, felizmente, nunca acabou. A cada nova experiencia, mais conhecimento, uma vez que não existem duas mulheres iguais.

12 opiniões sobre “A primeira vez de um homem”

  1. Sou mulher e à 8 meses tenho gerido um relacionamento heterossexual. Eu Mesmo, adorei o texto… pq a umas semanas meu namorado confessou q foi comigo q perdeu a virgindade. Eu como muito descomplicada q sou, expliquei-lhe q para mim aquele era irrelevante, e apenas não percebia o porquê de ter mentido. Concluido, da maneira como traduziu a sua experiencia por palavras percebi q afinal a virgindade nao e 1 drama so para raparigas, já q também eles, numa altura das suas vidas são inexperientes no mundo do sexo.

    Valeu :)

  2. Muito bom o texto mais minha primeira vez eu sabia de muitas coisa já venos muitos filmes porno revisras foi com uma prima tbm virgem mais vc ta de parabéns boa histori!!!!

  3. Oi Eu Mesmo.

    Parabéns pelo texto. Como sou gay não tenho a menor idéia do que pode ser isso para um homem. Foi interessante saber. Mas se quiser posso contar como é a primeira vez de uma "mulher com outra mulher" rsss.

    Beijos e desculpe vocês sabem pelo que.

  4. Olha eu não posso falar nada sobre a primeira vez porque já nasci sabendo mesmo. Sou gostoso desde criancinha rsssssssssss

  5. Apoiado Vic. Falem que nós vamos gostar e entender esse momento tão difícil para vocês rssss

    Bj

  6. Oi Eu Mesmo.

    Achei o texto muito interessante poruqe nas conversas com homens eles normalmente não falam da época em que não tinham nenhuma experiência sobre sexo, é como se eles já nascesem sabendo tudo! Acho que as mulheres falam mais sobre isso e gostariam de saber o que de fato "um virgem" sente na primeira transa. Fica a sugestão: HOMENS FALEM MAIS!!!

    Beijos

  7. Legal ler um texto escrito por um homem sobre a perda da virgindade masculina. Vou tentar escrever alguma coisa e ver se consigo. Lembrar eu lembro bem com todos os detalhes, minha dúvida é se vou conseguir escrever, não sou muito bom nisso, sou matemático, letras não se dão bem comigo. Quem sabe consigo fazer uma equação rsss

    Abraços para a B e Eu Mesmo

  8. Oi.

    Gosto quando um homem confessa que não sabe tudo e está sempre aprendendo, a maioria que conheço é do tipo SEI TUDO SOBRE SEXO!! um saco rsss, na maior parte das vezes é uma p**** mentira ou tenho dado azar rs.

    Beijos

  9. Oi

    Bom o texto. A minha primeira vez não foi com uma profissional, era minha namorada e como era mais expeiente foi bom. Mas como o Eu Mesmo nunca tinha visto uma mulher gozar e também fiquei bem confuso, aliás tão confuso que quase brochei (rs). Mas depois, a medida que fui ficando mais experiente passei a me interessasar por esse surpreendente e maravilhoso mundo feminino e cada vez me sinto mais desafiado a penetrar nesse mundo, embora as vezes "quebre a cara" rsss. Mas melhor tentar do que ficar imaginado, isso posso fazer "sozinho", mas perde muito a graça depois que não temos mais 13 anos rs.

  10. Oi.

    Gostei de saber como é a sensação de um garoto quando se depara pela primeira vez com uma "profissional do sexo", a sensação de espanto frente ao orgasmo feminino. Deve ser mesmo meio assustador (rs). Mas principalmente me chamou à atenção no texto do Eu Mesmo a separação que ele faz entre ter "perdido o cabaço" mas não a virgindade. Dá a sensação que ele não considerou aquela como a "primeira vez", quem sabe por ser um ato simplesmente mecênico. Mas a experiência com uma mulher com quem ele tinha algum envolvimento, foi aquela que o introduziu no mundo do sexo como troca e ali ele começou de fato o seu aprendizado. E como ele diz com muita propriedade nós estamos sempre aprendendo, cada mulher é "única", gostei disso (rs).

    Veleu Eu Mesmo, saber mais sobre o que os homens sentem faz com que a mulheres também aprendam!

    Beijos

Os comentários estão encerrados.