Inversão de papéis – Como Fazer

A possibilidade do prazer masculino com a estimulação anal é fato, mas nem por isso deixa de ser tabu. O pavor que o heterossexual (masculino ou feminino) convicto tem com o simples vislumbre desse possível prazer é tal, que isso passa de geração em geração como um preconceito pra lá de concebido. Não tenho nenhuma intenção de estuprar mentes e forçar idéias, mas acho muito importante partilhar experiências e incentivar a discussão e reflexão sobre o assunto.

Nota da B.

Antes de tudo uma confissão em aberto. Já fui muito preconceituosa a respeito do prazer anal masculino. Pra mim, tratavam-se de homossexuais enrustidos que não tinham coragem de aceitar outro homem sexualmente e então se contentavam com a carícia vinda de uma mulher como prêmio de consolação. O tempo foi passando e fui, lentamente, me permitindo experimentar e aceitando que existem outras possibilidades.

1ª lição

Apesar de eu acreditar que todo indivíduo é potencialmente bissexual, opinião extremamente particular, admito também que existem homossexuais convictos, assim como heterossexuais também. A bissexualidade pode ser uma ótima opção para quem quer uma vida sexual diversificada, mas não necessariamente é uma opção generalizada. Portanto, é extremamente preconceituoso de qualquer parte, homo ou hetero, achar que um homem que tenha prazer com a estimulação anal seja essencialmente homossexual.

D & G – A Traição

Neste texto eu conto como foi o meu primeiro contato com um homem que demonstrou sentir prazer anal. Da estranheza e preconceito ao prazer de dar prazer. É claro que em muitos pontos uso de liberdade poética, afinal, trata-se de um conto/relato erótico e a intenção dele é não apenas passar a informação, mas também toda a atmosfera de prazer. Ainda assim, há muita verdade nele, acho que vale ser lido.

2ª lição

Quem disse que existe maneira certa ou errada de ter prazer desta ou daquela forma? A construção de um tabu acontece e se estabelece de maneira velada ao longo de gerações. O indivíduo crê, mesmo sem uma opinião própria formada, que determinado comportamento é errado e sequer questiona, apenas assume como verdade. Acho que independente de assumirmos (ou não) determinadas preferências e levantarmos bandeiras (estar em evidência nem sempre é algo confortável) é importante manter uma mente livre para as possibilidades, aceitando ou não.

O Tabu do “fio-terra”

Este foi originalmente um comentário meu ao texto de um amigo de outro blog, Pequenos Delitos, chamado “A última trincheira“. Nele eu comento diferentes formas de dar prazer através da estimulação anal masculina. Neste texto em especial eu, uma adepta assumida de práticas sadomasoquistas, tento não vincular as práticas de estimulação anal e o prazer com isso ao BDSM, apesar de, particularmente, fazer uso dentro de meus jogos eróticos. O prazer a partir da estimulação anal independe do prazer BDSM.

3ª lição

Buscar informações é sempre importante. Vivemos em uma época maravilhosa, onde a informação é difundida muito democraticamente através de revistas, livros ou mesmo aqui, na internet, ainda que, eventualmente, nem toda fonte seja confiável, mas ter alguma informação é sempre melhor que não ter nenhuma. Quando me encantei com o prazer de dar prazer com a estimulação anal do parceiro, percebi que determinados cuidados se faziam necessários, tal qual a devida lubrificação da área, que originalmente não tem nenhuma lubrificação. Assim como o uso de preservativos nos acessórios ou luvas para a manipulação direta, por uma questão de higiene e prevenção de possíveis contaminações ou acidentes, principalmente com as unhas. No caso da massagem prostática, o desconhecimento da fisiologia masculina exige um pouco mais de sensibilidade e conhecimento, nada que uma vontade real de entender mais sobre o assunto não dê jeito.

Massagem Prostática

Este post é na verdade a resposta a pergunta de uma leitora. É bem didático, consegui inclusive um vídeo no youtube que ensina bem direitinho. Eu, que gosto de fazer brincadeiras de controle, eventualmente submeto meu parceiro ao milking só pelo meu prazer em controlá-lo. Quando isso acontece, ele quase sempre está usando o cinto de castidade. Mas isto é outra história. Uma brincadeira particular que eu e meu parceiro curtimos.

4ª lição

Eventualmente o prazer com a estimulação anal vem acompanhado de outras fantasias. O strap-on vem a ser a fantasia de ser literalmente fodido pela parceira com o auxílio de um acessório que é um dildo (pau de borracha), adaptado a uma cinta que anatomicamente firma o acessório ao corpo. Alguns homens submissos têm a fantasia de ser humilhado dessa forma, ser forçado a isso por uma mulher. Outros têm, não apenas este desejo, como também o da feminização forçada. Ser obrigado a vestir-se como mulher, constranger-se e paradoxalmente excitar-se com a prática. Definitivamente a mente humana é uma caixinha de surpresas. Nenhuma mulher precisa ter prazer com estas práticas, mas existem algumas (eu sou uma delas) que tem um prazer especial com a fantasia da Dominação.

Inversão de Papéis – Quando Ele se Torna Ela

Este texto para os não submissos, mas simpatizantes do prazer com a estimulação anal, pode constranger um pouco. Neste caso, ele serve apenas como ilustração de outra possibilidade que vai além do prazer com o ato, mas sim também com a fantasia da situação em si. E os que gostam de se sentir como mulheres, tem inclusive um relato masculino sobre o assunto no texto, verão que tal prazer não é um bicho de sete cabeças, desde que a parceira compartilhe da fantasia. Tais texto são importantes, pois eles levantam questionamentos. Esse texto é interessante, pois eu relato a minha relutância em experimentar o strap-on por causa do medo de me sentir machona, quando, no entanto, o fato de dar prazer ao outro é tão grande, que esquecemos qualquer tabu.

5ª lição

Partir pra prática é essencial e possível. É interessante, excitante e estimula e muito a criatividade. Se você é homem, tem uma parceira sexual de confiança e tem a fantasia, não tenha medo e ouse. O máximo que pode acontecer é não gostar. Por isso é tão importante ter um canal de discussão aberto com a parceira para falar do assunto. Se você é mulher e ainda vê com alguma estranheza a proposta do seu parceiro, relaxe. O preconceito inicial é natural, anormal é depois de todas as dicas acima ainda achar que o prazer de alguns (veja bem, não disse todos) homens com a estimulação anal seja mito ou sinônimo de homossexualidade. Acreditem… Homossexuais buscam um par do mesmo sexo e não o contrário.

Bedtime Stories

Permitir-se viver é sempre mais complicado do que se imagina, mas é preciso ousar. Já tive alguns relacionamentos com homens que tem este prazer e a grande maioria era heterossexual assumido. Por dois meses namorei e fui apaixonada por um homem masoquista, submisso, crossdresser (curtia se vestir de mulher) e bissexual. Tivemos muitos orgasmos juntos. Curiosamente, ele nunca penetrou em mim, mas eu ao contrário… Tínhamos um prazer inexplicável na cama. Inexplicável e especialmente sensual. Este texto mostra bem isso.

Espero com este texto informar, com conhecimento de causa, que o prazer sexual masculino com a estimulação anal não é mito, apesar de ser tabu. Se você que lê agora, homem ou mulher, e tem curiosidade, quer saber mais sobre o assunto saiba que os links que passei são contos/relatos de experiências vividas. Já fui preconceituosa, mas hoje, prefiro me embasar no conceito que, se dá prazer ao outro e não me causa dano algum, por que não experimentar e ver se gosto e tenho prazer também? Curiosamente eu gostei, mas… Sei que sou uma mocinha incomum.