Camisinha Feminina | O caviar da proteção sexual

Zeca Pagodinho tem uma música divertidíssima onde ele pergunta se “Você sabe o que é caviar?” e a galera responde “Nunca vi, não comi, eu só ouço falar”. Sei que é uma comparação meio louca, mas… A camisinha feminina, diferente da masculina, é mais ou menos como o caviar pra mim, só conheço de nome. Inúmeras vezes tentei comprar, e quase nenhuma farmácia oferece o produto.

A primeira vez que tentei usar estava com um amigo médico, ginecologista, que além das segundas intenções, aproveitaria para me ensinar como usar  o treco. Infelizmente, ficamos na vontade e tivemos que optar pela boa e velha camisinha masculina, já que não havia nas farmácias que procuramos.

Ok, isso tem tempo, sei lá, uns quatro anos, mas dia desses eu e o Adminsitrador Secreto pesquisávamos – só a gente para buscar produtos de 1ª necessidade sexual e dizer que é pra pesquisa – sobre preservativos na farmácia, eis que o Admin pede e o que recebe em troca é uma desculpa do balconista.

Recentemente a cantora Lily Allen reclamou da falta de privacidade devido à fama – “Eu não posso fazer coisas simples, como ir numa loja comprar camisinhas” – e eu lembrei de uma leitora do interior que perguntou como ela poderia comprar camisinhas pela internet. Ou seja, muitos tem reservas sim em comprar preservativos, seja pela fama ou seja para resguardar a sua privacidade mesmo. Já pensou ter que procurar de farmácia em farmácia sem encontrar?

Eu sou mesmo descarada e não sofro com este tipo de pesquisa, sou capaz até de perguntar da qualidade e comparar preço, mas… Quem é assim?!

Camisinha Feminina, uma ilustre desconhecida

Em uma rápida busca pela net, é possível encontrar trocentas páginas explicando como usar, deixando como informação que é fácil de encontrar para venda, mas a realidade não é bem assim. Mesmo na net foi quase impossível encontrar, com exceção do Site G, uma sex shop que oferece o produto ao preço de R$18 a caixinha com duas unidades.

Em conversa recente com o mesmo amigo ginecologista citado acima, o grande problema é que a camisinha feminina não pegou. Seja pela estética ou pelo preço alto, apesar de todas as indicações, as mulheres não aderiram à novidade. Cheguei a perguntar a ele, que já havia experimentado, qual o ponto de vista masculino da camisinha feminina e a resposta foi terrível:

“Imagine um cara enfiando o pau, se masturbando, com uma sacolinha plástica nas mãos. Imaginou?! É mais ou menos este o som…”

Ok, meu amigo é direto demais,  disse que o ponto positivo da camisinha feminina é ser realmente eficaz na prevenção de DSTs e AIDS, mas… Infelizmente, pouca gente encara a AIDS como uma doença mortal, hoje em dia. E pra completar, ele não negou a feiura e desconforto da peça. Infelizmente, não encontrei em nenhum dos meus contatos uma mulher que tivesse feito o sexual-test-drive.

Isso agora vai virar uma questão de honra, quero experimentar este treco, a tal da camisinha feminina. Parece que é disponível grátis em CMS, Centros Municipais de Saúde, vamos ver. Segundo meu amigo é mais fácil achar lá que em farmácia. Usando, eu comento, podexá!

__________________________

E você, já usou preservativo feminino? Qual foi a sensação? Tanto homem quanto mulher, dê a sua opinião.