Perfil do Consumidor de Mercado Erótico - ABEME (clique na imagem para ver maior)

Brinquedos Eróticos à Domicílio

Essa é para as mulheres… Parafraseando o slogan das Organizações Tabajara: Seus problemas acabaram! Isso porque estou falando de um assunto que um dia foi tabu, mas a cada dia que passa se torna mais corriqueiro, o mercado de produtos eróticos.

Perfil do Consumidor de Mercado Erótico - segundo a ABEME (clique na imagem para ver maior)

Segundo a ABEME, Associação Brasileira de Empresas do Mercado Erótico, o consumo de produtos - brinquedos eróticos e outros – aumentou 17% em relação ao ano anterior e isso graças às revendedoras “sacoleiras” (e também às vendas online, é claro), que correspondem a aproximadamente 40 mil profissionais em todo o Brasil.

Enquanto os homens continuam preferindo comprar via internet, as mulheres estão sabendo usar como ninguém dessa novidade.

Se antes, as revendedoras de catálogos não traziam em suas sacolas nada mais sensual que um óleo de amêndoas garimpado com criatividade para massagear o amado, hoje é possivel encontrar produtos bem mais picantes oferecidos no mesmo formato.

Atualmente, dadinhos com poses eróticas, géis de efeito quente/gelado, óleos estimulantes para massagem e canetas que escrevem com sabor (isso para falar apenas dos produtos mais lights), são facilmente encontrados para comprar… Na intimidade do seu lar.

Ou seja, aquela mesma amiga/conhecida revendedora de cosméticos te apresenta uma verdadeira vitrine erótica no conforto da sua própria casa. Seja em reuniões do tipo Tupperware, catálogos de revenda, cestas eróticas, tanto faz, o que importa é que a mulherada cansou de ser um agente passivo na relação e partiu pro ataque.

Olha que maravilha?!

6 opiniões sobre “Brinquedos Eróticos à Domicílio”

  1. Ah, vc sempre passando na minha frente! Eu estava escrevendo post sobre isso (não ser blogueira constante dá nisso…A cabeça fica cheia de ideias, mas o blog…tadinho.)

    Confesso que eu já pensei seriamente em revender produtos eróticos, acho que me sairia melhor do que vendendo Avon, Natura… tapuer :)

    Problema é que já li algumas matérias de gente que trabalha com esse tipo de venda e elas dizem 'testo todos os produtos com meu namorado/marido' e como minha vida sexual anda meio no 'eu comigo mesmo' creio que alguns 'brinquedinhos' não seriam possíveis de serem testados por mim :(

    Verdade é que, se é bom negócio pra quem vende, com certeza é um negócio melhor ainda para os tímidos em frequentar uma 'Sex Shop'.

    E tem ajudado muitos casamentos. Fato.

    Abraço B.

Os comentários estão encerrados.