Álcool e Sexo | Cu de bêbado não tem dono

O célebre ditado popular, “Cu de bêbado não tem dono“, acaba de ser – implicitamente, é claro – tema para campanha anti-álcool voltada ao público jovem na Alemanha.

A campanha “Don’t drink too much – stay gold” (“não beba demais, fique limpo”, em tradução livre) está sendo veiculada naquelas bolachas de descanso para copo no melhor estilo “antes e depois”, assim como em cartazes e internet. Com cenas realísticas mostrando os festejos em uma face e os vexames na outra.

Eu não sou de beber, mas tenho histórias terríveis com bebida. Do beijo casual com um desconhecido diante do meu “ficante” (que depois disso quis todas, menos eu, é claro), a acordar ao lado de um quase desconhecido depois de uma noite de muito sexo e nenhum gozo.

Pois é, a bebida tira o meu filtro de limites, mas também me deixa muito insensível. Logo eu que tenho uma facilidade absurda para ter orgasmos, fico com muito fogo, mas não “chego lá”, se é que vocês me entendem. O que acaba sendo frustrante.

Sendo assim, eu prefiro ficar com uma taça de vinho, apenas em brindes muito especiais, a pagar mico e ficar com dor de cabeça no dia seguinte. Pelo menos comigo, a combinação bebida e sexo não funciona.