A Vida Secreta, ajudando a tirar as tarjas pretas do mundo desde 2007: sexualidade, erotismo e comportamento.

A aposentadoria do A Vida Secreta e um obrigado a todos vocês

Queridíssimos…

É com saudade e também muito carinho que retornamos com este post para informar da aposentadoria do A Vida Secreta, um espaço pioneiro no debate sobre comportamento sexual, que ao longo de cinco anos levou informação e entretenimento sobre erotismo e sensualidade de forma simples e direta.

Finalizamos as atualizações, fechamos os comentários, no entanto, continuaremos com o conteúdo online, disponível para pesquisa e compartilhamento em licença Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil (saiba mais aqui)

Tudo se transforma. A mudança é a única coisa que não muda.

De um blog feito para si, meio que uma egotrip e terapia, o Me and My Secret Life, se transformou num blog cheio de comentários e papos que ajudavam dezenas de pessoas. Então, se transformou no A Vida Secreta, um site despretensioso, onde ajudamos e respondemos dúvidas de centenas de pessoas e depois alguns milhares de pessoas.

Sem percebermos, a parceria entre a B e Admin virou a parceria e amizade entre Beth Vieira e Celso Bessa e, juntos, fundamos uma consultoria e uma startup.

Sem percebermos também, fizemos parte e ajudamos a fortalecer uma transformação de valores na sociedade brasileira. Assim como mais uma meia dúzia de bons blogs pioneiros e contemporâneos como Pinky, The Kinky, Pequenos Delitos, Sexto Sexo, Bruna Surfistinha e alguns outros, o A Vida Secreta, com sua proposta pioneira de tratar sexo de forma séria, ajudou a tirar um monte de tarjas pretas e a tirar o sexo dos guetos internético e as redações dos armários, fortalecendo a discussão sobre sexualidade, pluralidade, liberdade e diversidade.

Se desde 2010, cada vez mais jornais, revistas e programas de TV passaram a falar abertamente de sexo e aos poucos perdendo o ranço de bizarrice ou diversão e hoje há tantos blogs grandes de sexo, foi por causa do caminho aberto pela B e estes pioneiros.

Sem querer, todos nós nos transformamos em revolucionários. Daquelas revoluções pequenas, diárias, que transformam o cotidiano em história. E agora, chegou a hora de uma nova transformação e novos capítulos nesta história:

O A Vida Secreta está sendo aposentado.

Sim, aposentado e não encerrado ou morto: como quem já trabalhou e fez bastante pelo mundo, e agora vai apenas aproveitar o que construiu, acompanhar seu legado.

B e Admin, Beth e Celso, porém, não se aposentam, mas agora têm outras prioridades e projetos para tocar, todos eles, frutos do que fizemos e aprendemos por aqui. Mas, mesmo em seus novos caminhos, não abandonam os valores que criaram o A Vida Secreta:

  • conteúdo de qualidade
  • colaboração
  • diversidade
  • safadeza e liberdade com responsabilidade.

A B/Beth segue cuidando de seus blogs safadinhos, sua coluna sobre sexualidade no Vila Mulher e novos projetos. Admin/Celso passa a dedicar a dois projetos de conteúdo colaborativo: Paqt e Wikisexo (para os mais safadeeenhos)

Então queridos leitores e ouvintes do podcast, ídolos e amigos, dizemos de coração:

Muito obrigado por ajudarem por tudo o que fizemos juntos.

E contamos com vocês em nossas novas realizações.

Aos parceiros como XPlastic, PopPorn Festival, Rádio Lambisgóia, os autores do projeto Blogs Eróticos, colunistas e muitos outros: muito obrigado pelas oportunidades e aventuras juntos.

E um obrigado especial ao Daniel Henrique, o entremeado, que representa nossa história: de leitor do Me and My Secret Life, virou leitor e colaborador do A Vida Secreta, depois colunista LGBT e nosso sócio na 2Aces.

Para acompanhar as peripécias da B. fique de olho nas atualizações devezemquandais de seus outros blogs safadinhos:

Enquanto isso o Admin Secreto, segue com dois projetos novos: Wikisexo e Paqt.

Agradecemos de coração o carinho de vocês ao longo de todos estes anos e convidamos a todos que nos acompanhem em nossos novos projetos. Vem coisa boa por aí!

Beijos!

B e Admin.

Lugadores nús em foto de abertura do site Naked Kombat

5 sites que mostram a diversidade de fetiches na Kink.com

O portal Kink.com é um conglomerado de sites de filmes sadofetichistas, que podem ser baixados ou assistidos on-line e até mesmo ao vivo. Atualmente formado por 25 sites (trinta se contarmos os do seu “braço gay”, o Kinkmen.com), o Kink.com procura agradar tudo quanto é gosto, apostando com criatividade e ousadia em diferentes vertentes.

(Se quiser ter uma melhor idéia do que é esse portal, leia este artigo: Kink.com: a liberdade através do fetiche)

“Criatividade” aqui é a palavra. É impressionante as várias formas que apresentam, misturam e atendem aos diferentes gostos e práticas sadofetichistas. E toda essa diversidade de conteúdo do Kink.com nada mais é do que um reflexo de nossas taras.

Então listo aqui, cinco de seus sites que representam a grande diversidade de práticas sadofetichistas.

2 mulheres beijam o ânus de outra em filme do site Everything Butt

2 mulheres beijam o ânus de outra em filme do site Everything Butt, um dos 5 sites que mostram a diversidade de fetiches no Kink.com

Naked Combat (Combate Nú)

Se você curte assistir UFC e outras competições de MMA, acompanhando dois marmanjos seminús rolando um sobre o outro no tatame e gostaria de ver outro tipo de rolo entre eles, este é o seu site.

No Naked Combat, dois homens lutam e se esfregam entre si com o objetivo de dominar o oponente. Em vários sentidos.

Não pense que se trata meramente de dois atores simulando um lutinha tosca entre si. Nada disso. Alguns dos participantes são ou foram lutadores profissionais. Rick Bauer, por exemplo, foi o 6o. colocado na International Wrestling Championship de 2001.

Ou seja, a coisa é pra valer, são dois fortões se pegando (figurativamente e literalmente) e na marra.

A força erótica nos combates são realçadas à medida que se avança a luta. No primeiro round, os lutadores usam apenas shorts coladinhos. No segundo, tapa-sexo. No terceiro, nadica de nada. E no quarto e último, o “round sexual”: o vencedor se esbalda com e sobre o perdedor das formas que quiser.

A luta segue um sistema de pontos concedidos por cada golpe bem aplicado. Os golpes são do estilo de luta greco-romana, porém é possível pontuar com outros bem “inusitados”, como sentar na cara do adversário, segurar os testículos deste e masturbá-lo o pênis, palmadas, fio-terra e por aí vai…

Obviamente, vence aquele que obtiver mais pontos. Em caso de empate, aquele que manteve a ereção por mais tempo.

… isso aí: para se vencer é preciso lutar duro.

(Para acessar o Naked Combat, clique aqui)

2 Lutadores nús em cena de filme do site Naked Kombat

2 Lutadores nús em cena de filme do Naked Kombat, um dos 5 sites que mostram a diversidade de fetiches no Kink.com

TS Pussy Hunters

Transsexuais são sucesso no pornô, tanto que há um gênero de filmes dedicado a elas. Entretanto, dentro do sadofetichismo, eram raríssimos as produções que atendiam esse filão. Por isso, considerei uma ação bastante corajosa quando a Kink lançou a TS Seduction, filmes BDSM com homens submissos e transsexuais dominadoras. O sucesso foi tamanho que o Kink ousou mais uma vez e lançou o TS Pussy Hunters, que exibe transsexuais dominando mulheres.

Como Tomcat, diretor e criador desse site, diz: “Boobs and cocks and pussies. It’s all the things great in the world“.

Após ver a performance delas, até mesmo o mais machão escravo BDSM não titubearia e se prostraria de quatro para que essas Dominadoras Sádicas lhe metessem a chibata!

(Para acessar o TS Pussy Hunters, clique aqui)

2 mulheres e 2 transsexuais transando em cena de filme do site TS Pussy Hunters

TS Pussy Hunters, um dos 5 sites que mostram a diversidade de fetiches no Kink.com

Everything Butt

Everything Butt (“Tudo bunda” numa tradução bem bunda) é um site BDSM cujo alvo figurado e literal é a (ACERTOU!) bunda feminina.

E não é qualquer bunda. São bundas avantajadas, com amplas áreas de pouso para chicotes e palmatórias e que fariam corar o saudoso John Staglianno (Aka Buttman). Assim, os filmes focam práticas que podem ser praticadas em bundas ou que bundas podem praticá-las.

Vão desde o feijão com arroz (sexo anal, anilingus, inserção de objetos dos mais variados tamanhos, formas e exotisices), passando por palmadas, “facesitting” (sentar sobre o rosto de alguém) e chegando ao escatológico, como enemas e “squirting” (“Esguichamento”. Ou seja, esguichar água pela ACERTOU DE NOVO!).

Que eu saiba, nenhum filme envolve material que costumeiramente sai ali por trás. Ao menos, não tive tempo de conferir um por um cada filme de seu acervo.

… sentar a bunda e assistir gente brincando com o cú alheio.

3 mulheres fazendo sexo anal em filme do site Everything Butt

3 mulheres fazendo sexo anal em filme do site Everything Butt, um dos 5 sites que mostram a diversidade de fetiches no Kink.com

(para acessar o Everything Butt, clique aqui)

Fucking Machines

Para os homens que têm medinho de serem trocados por vibradores femininos, a Fucking Machines é um verdadeiro pesadelo. Aqui as mulheres chegam a intensos e sonoros orgasmos através de gerigonças que parecem ter saído de um sonho molhado do professor Pardal. São 36 (TRINTA E SEIS!) máquinas com diferentes e estimulantes funções e de nomes sugestivos, como “Annihilator“, “The Assblaster“, “The Bunny Fucker“, “The Fucksall“, “Fuckzilla“. Oh, fuck!

A “Chainsaw Massochist“, por exemplo, é uma espécie de serra-elétrica com “línguas” nos lugares dos dentes e que se movem rapidamente em sequência provocando “lambidas” onde tocam.

Nas cenas em que as modelos são estimuladas/chupadas/penetradas/viradas pelo avesso enquanto estão amarradas,a impressão que se tem é de se estar assistindo a uma experiência alienígena que busca analisar os limites da resistência sexual feminina (ou a quantos decibéis gritos e gemidos atingem) ou a alguma ficção científica erótica onde robôs se voltam contra homens.

Neste caso, contra mulheres que não se importam em serem dominadas por máquinas que chegam com tudo e botam pra fuder.

(para acessar o Fucking Machines, clique aqui)

2 mulheres em filme do site Fucking Machines

2 mulheres em filme do site Fucking Machines, um dos 5 sites que mostram a diversidade de fetiches no Kink.com

Pissing.com

Seria um site de filmes pornôs como muitos outros: com cenas de lambidas e chupadas, penetração anal e vaginal, dominação e palmadas e o escambau. A diferença é que no Pissing.com, durante os atos, as atrizes levam verdadeiros banhos. Banhos do tipo dourados.

Pode não parecer, mas a prática da “chuva dourada” (Golden Shower, urinar ou receber o jato urinário do parceiro) conta com um bom número de entusiastas, como prova este site criado a partir de inúmeros pedidos dos assinantes do Kink.

E é modelo levando banho de tudo quanto é jeito: de um homem, de outra mulher, de uma dupla, de um trio, de um grupo inteiro e até de si mesma. As cenas incluem também closes em bundas, seios, vaginas, rostos, bocas, etc. sendo “lavados”. E ninguém ali chora a urina derramada. Prostram-se no chão molhado, esfregam-se nele a face e o corpo, lambem, sorvem e absorvem tudo. Tudo é aproveitado com sofreguidão até a última gota.

Mesmo quem faz cara feia ao ver urina se mesclando com suor e esperma nos rostos sorridentes das atrizes é obrigado a admitir que há sim um forte apelo erótico nas cenas, graças ao tesão que as modelos expressam na forma como se contorcem, se esbaldam, se agarram e se beijam, enquanto o líquido dourado pinga de seus cabelos ensopados e escorre pelos corpos úmidos.

Aliás, é tanta urina que nos perguntamos: quanto de água devem beber os participantes antes das filmagens, hein?

(Para acessar o Pissing.com, clique aqui)

Modelo em filme do site do Pissing.com,

Modelo do Pissing.com, um dos 5 sites que mostram a diversidade de fetiches no Kink.com

Kink.com é referência em BDSM

Para vocês terem uma idéia do grau de referência que é o kink.com, originalmente o objetivo era escrever um “Top 5 sites BDSM“. De cabeça, praticamente todos os melhores sites que lembrei eram desse portal. E, se você baixa bastantes filmes BDSM, é provável que uma parte considerável de seu acervo deve ser formada por produções dele.

… fantástico como sua equipe abraçou a “causa” fetichista e não poupa esforços para expressá-la da forma mais sensual e intensa possível (isso é muito bem expresso no artigo que apontei lá em cima).

De acordo com o dicionário Michaelis, “kink” pode significar “excentricidade”, “esquisitice” e “preferência sexual incomum”. Por isso, não acho exagero afirmar que Kink.com também é sinônimo de fetiche.

Escravo Roger RF é um feliz escravo da Rainha Frágil que curte sadomasoquismo, fetiches, feminização e mantém um Tumblr sobre BDSM em geral.

Kink.com: a liberdade através do fetiche

Kink.com: a liberdade através do fetiche

Se aconteceu alguma coisa nova na pornografia nestes últimos anos foi por responsabilidade do Sr. Peter Acworth, o britânico criador do portal Kink.com. Ele começou em 1997, em Nova Iorque, com um único site chamado Hogtied  e evoluiu até um pequeno império  sediado num antigo depósito de armas na cidade São Francisco nos EUA nos dias de hoje.

Reprodução de filme da Hogtied, site parte da rede Kink.com

Reprodução de filme da Hogtied, site parte da rede Kink.com

O portal kink.com reúne uma série de sites na temática BDSM e fetichista, tanto hétero quanto gay. É orientado para o público masculino e é também admirado por muitas mulheres, sobretudo as que conhecem ou participam da cena BDSM Este apelo feminino nós também vemos em seu elenco de diretoras, que tem nomes como Claire AdamsBobbi StarrTomcat, Princess Donna Dolore e Maitress Madeline. Nenhum outro site do mesmo porte tem tantas mulheres atuando com direção de cena.

O Kink foi pioneiro (e talvez o mais bem sucedido) em misturar BDSM com sexo real, foi como um encontro entre os vídeos de fetiche que encontramos no Clip4sale com os filmes pornográficos com sexo explícito. Com isso ele conseguiu aumentar muito o alcance do seu conteúdo, pois, sem perder o público mais interessado no BDSM “puro”, ele conquistou os consumidores de pornografia tradicional que acabaram descobrindo novas possibilidades para sua vida sexual e seu consumo de pornografia na internet.

A diferença entre o Kink e sites como Brazzers, por exemplo, começa na forma de tratar os performers. O Kink adota uma postura de transparência total, onde até os valores dos caches são públicos (veja neste link).

Outra diferença é que os performers com interesse pelos assuntos do site tornam-se diretores, como aconteceu com as mulheres citadas anteriormente, e existe uma preocupação com o bem estar e a segurança entre os performers.

Mais que um site pornô

kink.com é muito mais que um site pornô, é um grupo de ativistas pela liberdade sexual: participam de eventos como o Folsom Street Fair,o maior evento de celebração da cultura BDSM do mundo, que acontece em São Francisco todos os anos; apoiam iniciativas como a Feminapotens, uma geleria de arte e espaço de eventos que celebra e propõe discussões sobre sexualidades alternativas; e recentemente inauguraram uma espécie de bar, o The Armory Club que funciona próximo ao antigo depósito de armas onde a empresa funciona atualmente.

Para os não iniciados nos assuntos relacionados ao BDSM, visitar o Kink é um choque, as cenas são reais e extremas, mas nada muito diferente do que se vê quando se visita um clube de sadomasoquismo ou se navega pelas páginas do Fetlife . O Kink apresenta uma pornografia muito mais próxima do que acontece de no dia a dia de quem conhece e/ou pratica o BDSM da vida real do que o que a pornografia tradicional apresenta em relação ao sexo que seus consumidores praticam em seu dia a dia.

Mulheres amarradas e dominadora em cena do filme do site Whipped Ass

Mulheres amarradas e dominadora em cena do filme do site Whipped Ass
, parte da rede Kink.com (Reprodução do site)

A pornografia tradicional apresente um sexo que as pessoas nunca irão conseguir fazer, um sexo que equivale à violência estilizada dos filmes de ação, enquanto o Kink apresentam uma pornografia mais próxima da vida real, que por mais extrema que seja, sua audiência vê como possível, e as práticas reais estão muito próximas do que é mostrado no site.

Home chupando o pé de atrizes com roupas de colegiais

Home chupando o pé de atrizes com roupas de colegiais em cena de filme do site Foot Worship, parte da rede Kink.com (Reprodução do site)

É possível dizer que o que diferencia o Kink dos outros sites pornográficos é o seu propósito, o kink existe, como diz seu slogan, “para desmistificar e celebrar formas alternativas de sexualidade oferecendo o mais ético e autêntico entretenimento adulto para uma audiência orientada para estilos de vida relacionados ao fetiche e sadomasoquismo“. Enquanto outros sites existem apenas para ser mais uma fonte de receita de algum grupo de mídia gigante.

Kink.com e a liberdade sexual

Este ano o pessoal do Kink esta comemorando o lançamento um filme produzido pelo ator James Franco no Sundance Film Festival (saiba mais aqui), e levando seus valores para uma audiência muito maior.

Sites como o Kink e outros com uma visão positiva do sexo e da pornografia são uma oportunidade para mostrar para às pessoas que não é preciso sentir culpa pelos seus desejos, e que ninguém esta sozinho em suas loucuras. Se o que você faz é seguro, consensual e feito de forma sã, você não está errado, nem no “caminho do mal”. Descobrir e liberar os desejos sexuais da forma certa (realizando com segurança, de forma sã e consensual) é o caminho certo para evitar a explosão da frustração em forma de violência não consensual que pode acontecer dentro de casa, no trabalho ou na rua.

Se a energia criada pelo desejo sexual não for gasta com prazer, respeito e sem culpa ela acaba explodindo e seus efeitos são sempre devastadores. O Kink.com é um exemplo de entretenimento que educa sem ser chato e mostra alternativas para todos os desejos, este é o seu propósito e um dos pilares do seu sucesso.

R.Rufião é criador do site Xplastic e seus sites preferidos da rede Kink são Footworship e Everythingbutt .

Galeria Kink.com: a liberdade através do fetiche

Para acessar o Kink.com clique aqui .

Pin ups de Gil Elvgren

As Pinups de Gil Elvgren

Nascido em 1914, Gillette A. Elvgren estudou design e arquitetura na Universidade de Minnesota e também cursou aulas de arte no Instituto de Arte de Minneapolis. No ano de 1937 começou a pintar Pin Ups para o calendário de uma prestigiada agência de publicidade, a Louis F. Dow. Em 1944 foi contratado pela empresa Brown & Bigelow, para quem trabalhou por cerca de 30 anos ilustrando calendários.

Ilustração de Pin up colocando meia-calça

Out on a Limb (1937), trabalho bem do começo da carreira de Elvgren, feito para a agência Louis F. Dow

Imagem de pinup sentada em cama, retirando a meia-calça

I’m Not Shy – I’m Just Retiring (1948), aqui já podemos ver como o estilo do artista começou a mudar com o passar do tempo.

Além das pinups, também ficou conhecido pelas peças publicitárias feitas para a Coca-Cola por 25 anos, onde retratou a típica família americana, crianças e jovens em cenas cotidianas. Outras muitas ilustrações suas foram publicadas nas revistas McCall’s, Cosmopolitan, Good Housekeeping e Woman’s Home Companion.

Pinups em barco bebendo coca-cola

Aqui uma das peças publicitárias de Gil Elvgren feitas para a Coca-Cola,

Seu trabalho era cuidadosamente planejado. Somente depois de transformar uma ideia em uma situação visual ele selecionava a modelo certa para a cena, decidia o figurino, adereços e iluminação. Então tirava a fotografia e começava a pintar a partir dela. Dizem que o artista preferia retratar mulheres com testa alta, pescoço longo, olhos ligeiramente afastados, orelhas pequenas, nariz arrebitado, cabelo compridos, seios fartos, pernas e mãos bonitas, cintura fina, elegância e graça natural.

Durante a pintura fazia modificações nas proporções do corpo, buscando um ideal de beleza. Ele “alterava o contorno do busto, a silhueta das pernas, reduzia ainda mais a cintura, acrescentava mais inclinação ao nariz, tornava a boca mais cheia e sensual, ampliava os olhos e torneava curvas do corpo”. Nesse link você encontra uma seleção de imagens comparando as modelos reais e o resultado final da arte:

http://migre.me/bYDmR.

Me divirto percebendo essas alterações!

Montagem de foto ao lado de ilustração com modelo sentada se preparando para vestir um vestido

Um exemplo da foto com a modelo na situação que o artista queria, à esquerda, e o trabalho final, à direita.

Atrizes do cinema norte-americano, como Myrna Hansen, Myrna Loy, Donna Reed, Arlene Dahl, Barbara Hale e Kim Novak passaram por seu estúdio antes de se tornarem conhecidas.

Close da modelo Myrna Hansen como Pin up

Myrna Hansen, atriz, foi uma das modelos que mais posou para o ilustrador. Foto 1

Foto de modelo sentada e fazendo pose

Myrna Hansen, atriz, foi uma das modelos que mais posou para o ilustrador. Foto 2

A primeira coisa que me chama a atenção quando vejo um trabalho dele é a expressão das moças: sempre alegres ou com aquela cara de quem foi pega desprevenida. Algumas vezes, chegam a ser até caricatas.

Acredito que isso aconteça porque o artista buscava imprimir personalidade às suas pinups, e não só a sua ideia da beleza perfeita. A forma como ele retratava a sensualidade era bem doce e leve, nada vulgar, sempre colocando a semi-nudez no contexto de uma cena.

Modelo apenas de lingerie em uma balança

Mocinhas bonitas com pouco roupa em situações engraçadas! Weighty Problem (1962) é uma das obras que mais gosto não só pelo trabalho de Elvgren, mas também porque mostra que já faz um tempo que a mulhereda tem esse desentendimento besta com a balança!

Dessa forma, entre os anos 1940 e 1960, Elvgren foi o responsável por sintetizar a imagem da mulher americana.

Ele também conseguiu ao mesmo ganhar o respeito de seus colegas de profissão por sua habilidade técnica e conquistar o grande público.

Recentemente a fotógrafa Celeste Giuliano recriou a ilustração “Cold Feet”, de Elvgren. A fotografia ganhou uma cara de ilustração, veja os bastidores e o resultado abaixo.

Elvgren morreu aos 65 anos, de câncer, em 1980, mas suas pinups são conhecidas e celebradas no mundo todo. Quer ver mais trabalhos dele? Acesse meu board no Pinterest: http://pinterest.com/mairaspilack/pinups-gil-elvgren/

Maira Spilack é designer por formação e paixão, quando não está trabalhando, está juntando inspirações visuais que você pode conferir no pinterest.com/mairaspilack. Como toda libriana, divide o amor pela sua profissão com o amor pela dança e faz parte do coletivo de arte burlesca Santíssima Burla.

Links sobre Pin-Ups e Gil Elvgren

A Vida Secreta no programa Doutor do Sexo, na TV ABCD

A Vida Secreta no programa Doutor do Sexo, na TV ABCD

Hoje o programa Doutor do Sexo, da TV ABCD, contará com a participação do A Vida Secreta, através do Admin Secreto / Celso Bessa, por telefone. O programa sobre sexualidade é apresentado pelo urologista e sexólogo Celso Marzano e a terapeuta Samanta Fonseca.

O programa é transmitido ao vivo às quartas-feiras, às 21h00 e o público pode participar enviando perguntas e comentários e você pode assistir via o site da TV ABCD (clique aqui).

Então, até as 21h00!

Apresentadores do Programa Dr. do Sexo

Apresentadores do Programa Dr. do Sexo

Convite Festa Carroussell - Natal de Rei, Noite de Elvis

Festa Carroussell – Natal de Rei, Noite de Elvis

A Festa Carroussell, escolhida pela revista Época SP como a melhor festa para ir com amigos em São Paulo em 2012, terá sua última edição do ano neste sábado, dia 22.

Nesta edição – com o tema Natal de Rei, Noite de Elvis – terá show da banda A Serviço do Rei e performances burlesca do Santíssima Burla, mais Sweetie Bird e Sete de Ouros do The Burlesque Takeover, que for vestido com o dresscode do tema ganha desconto na entrada.

Bora?

Serviço Festa Carroussell – Natal de Rei, Noite de Elvis

Onde: Kitsch Club
Endereço: Rua Vergueiro, 2676 – Vila Mariana (próximo à estação Ana Rosa do metrô).
Horário: das 23h00 às 05h00
Entrada: R$15 dresscode, com ou sem nome na lista; R$20 sem dresscode, com nome da lista; R$30 sem nome na lista, sem dresscode ou após 1h30.
Lista Amiga (Desconto) no facebook ( clique aqui ) ou pelo e-mail [email protected]

Convite Festa Carroussell - Natal de Rei, Noite de Elvis

Convite Festa Carroussell – Natal de Rei, Noite de Elvis

Sexualidade, Sensualidade e Comportamento